PSL troca capitão por vereador como candidato a prefeito e apostará no combate à corrupção


O PSL trocou o candidato a prefeito de Campo Grande nas eleições deste ano, sai o deputado estadual Capitão Contar e entra o vereador Vinícius Siqueira. Com o discurso de direita 2.0, a sigla vai apostar no combate à corrupção para marcar posição na disputa da sucessão do prefeito Marquinhos Trad (PSD).

A senadora Soraya Thronicke, presidente regional da sigla, e o deputado federal Loester Trutis comandaram as articulações. “A escolha foi técnica. Vinicius conhece a prefeitura como ninguém. A ideia é rever todas as concessões públicas e pedir judicialmente o dinheiro que não veio para o município”, justificou-se Trutis.

Por outro lado, a senadora destacou que a decisão será tomada apenas na convenção partidária. “O Dep. Loester Trutis manifestou um desejo pessoal, o que não significava que seja dos demais membros da diretoria, até porque a municipal não foi consultada ou informada sobre o assunto. Tampouco a executiva estadual foi comunicada. No entanto, vivemos em uma democracia, e como deputado, ele tem o direito de manifestar sua vontade, mesmo porque essa questão será decidida entre os membros da diretoria somente na Convenção Partidária”, explicou.

Antes de deixar a disputa, Contar era o adversário de Marquinhos com melhor pontuação nas pesquisas de opinião pública. Na sondagem da Ranking, feita entre os dias 28 de abril e 2 deste mês, ele tinha 5,08%. Houve oscilação pra baixo, já que estava com 6,5% em março, mas dentro da margem de erro.

Relator da CPI da Energisa na Assembleia Legislativa, o parlamentar vem se destacando nas críticas à concessionária de energia elétrica. Nos últimos dias, a Justiça suspendeu a perícia determinada pela comissão em 200 medidores de energia elétrica na Capital. Contar também tem linha muito ligada ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Ele publicou uma nota para justificar a desistência. “Justa e merecida decisão do PSL em definir o pré-candidato à Prefeitura da Capital! Embora meu nome já fosse comentado nos bastidores e despontado em pesquisas, não seria ético nem coerente ocupar essa vaga, estando alinhada a minha saída do partido com o Presidente Bolsonaro. Meu compromisso sempre foi e será honrar os mais de 78 mil votos para deputado estadual, vindos de todos os 79 municípios de MS. Com força total, vou apoiar os melhores nomes em todo o Estado”, justificou-se Contar.

A proposta do novo pré-candidato a prefeito do PSL é de investigar todos os contratos firmados pela prefeitura de Campo Grande, repetindo o trabalho feito como vereador nas concessões do transporte coletivo, de táxi e do parquímetro. “Vamos ampliar a investigação para todos os contratos. “Será uma gestão mais técnica e menos política”, prometeu o vereador, que pretendia ser candidato a reeleição nas eleições deste ano.

Siqueira diz que será o candidato da direita 2.0 e terá como principal proposta de campanha o combate à corrupção na Capital. Apesar de manter o apoio ao presidente da República em nível nacional, o PSL vem se distanciando de Bolsonaro nas ações, inclusive em defender o isolamento social como medida de combate à pandemia do coronavírus.

Oficial da Justiça estadual, o vereador entrou na política ao liderar os protestos pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Ele se elegeu vereador em 2016 pela primeira vez com 3.386 votos.

Em 2018, no DEM, Vinicius disputa um cargo de deputado estadual, conseguiu 8.560 votos, mas não se elegeu.

Capitão Contar não é o primeiro a desistir de enfrentar Marquinhos nas eleições deste ano. A primeira a desistir foi a deputada federal Rose Modesto (PSDB), que não conseguiu o apoio do partido nem do governador Reinaldo Azambuja. Os tucanos trabalham para indicar o presidente da Câmara, João Rocha (PSDB), como candidato a vice na chapa do atual prefeito.

O ex-governador André Puccinelli (MDB) desistiu, apesar de também estar bem colocado nas pesquisas, e vai apoiar o deputado estadual Márcio Fernandes, do mesmo partido. O juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (sem partido) decidiu priorizar a reeleição do filho , o vereador Odilon Júnior (PSD). O ex-senador Delcídio do Amaral (PTB) não conseguiu recuperar os direitos políticos, ainda, e também anunciou que não será mais candidato. Luso de Queiroz desistiu até do PSOL.

Fonte: Ojacaré.

“Nós vamos ganhar dinheiro usando recursos públicos pra salvar grandes companhias. Vamos perder dinheiro salvando empresas pequenininhas”


Paulo Guedes, durante intervenção na reunião do dia 22, diz que “não vai ter molezinha pra empresa aérea” e que usará “a melhor tecnologia financeira lá de fora” para ajudar grandes companhias.

“Nós vamos botar dinheiro, e… vai dar certo e nós vamos ganhar dinheiro. Nós vamos ganhar dinheiro usando recursos públicos pra salvar grandes companhias. Agora, nós vamos perder dinheiro salvando empresas pequenininhas.”

Guedes também diz que o congelamento dos salários dos servidores é a terceira e última torre “do inimigo” a ser derrubada.

“Nós já botamo (sic) a granada no bolso do inimigo. Dois anos sem aumento de salário. Isso vai nos dar tranquilidade de ir até o final. Não tem jeito de fazer um impeachment se a gente tiver com as contas arrumadas.”


Fonte: OANTAGONISTA.

Ninguém está acima da lei, diz Celso de Mello ao tirar sigilo de vídeo


Celso de Mello

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou que “ninguém está acima da autoridade das leis e da Constituição da República” na decisão desta sexta-feira (22) em que autorizou a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril. O ministro argumenta que, por isso, a investigação de crimes eventualmente atribuídos ao presidente é legítima.

Segundo Celso de Mello, o pedido de divulgação do vídeo é legítimo, pois a gravação é “material revestido de caráter relevante e de índole probatória, destinado não só a viabilizar a apuração, por parte dos organismos estatais competentes (Polícia Judiciária e Ministério Público), dos eventos supostamente delituosos atribuídos ao Chefe do Poder Executivo da União, mas, também, reclamado por um dos investigados (o Senhor Sérgio Fernando Moro) como dado essencial ao exercício pleno do direito de defesa.”

Citando decisão de sua própria autoria em outro processo, Celso de Mello diz que a República tem como dogma que “todos os agentes públicos (…) são igualmente responsáveis perante a lei”.

“É por esse motivo que o dever de fidelidade à lei – a cujo império estamos todos submetidos, tanto governados quanto governantes, incluído o próprio Presidente da República – representa verdadeira pedra angular no processo de construção e de consolidação do Estado Democrático de Direito, além de revelar o grau de civilidade das autoridades constituídas e dos cidadãos em geral”, diz o ministro na decisão desta sexta-feira.

E continua: “Daí a inquestionável possibilidade constitucional de submeter-se o Presidente da República, não obstante a sua elevadíssima posição na estrutura hierárquica da República, a atos de investigação criminal, quer na esfera dos organismos policiais competentes, quer no âmbito do próprio Ministério Público, instituição esta que dispõe, segundo decidiu o Supremo Tribunal Federal, de poderes investigatórios (…) , o que justifica, plenamente, a submissão do Chefe do Poder Executivo da União, como a de qualquer cidadão da República, a atos de caráter probatório, como, p. ex., as requisições judiciais de material impregnado de relevante conteúdo informativo.”

Fonte: CNN.

Rio Brilhante: JBS vai recorrer da decisão que proíbe o transporte de seus funcionários


JBS seleciona candidatos para 150 vagas em Dourados - Dourados ...

O grupo JBS informou por meio de nota destinada ao site Enfoque Político, que vai recorrer da decisão do prefeito Donato Lopes da Silva, que nesta manhã editou um decreto proibindo o transporte coletivo de funcionários da empresa que são levados até a cidade de Dourados.

Segundo o prefeito, essa medida visa conter o avanço de casos do novo coronavirus, que até o momento já conta com 7 pessoas hospitalizadas, sendo que destas, 6 são funcionários do frigorífico. Ainda de acordo com o prefeito ao menos 190 funcionários são transportados diariamente até a empresa no município vizinho, e que durante 14 dias, estes 190 funcionários seriam isolados e a secretaria de saúde iria realizar o monitoramentos destes.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o grupo JBS, informou que detém uma liminar da Justiça Estadual, que garante a empresa o livre acesso ao transporte de seus funcionários, e que tal decreto do prefeito de Rio Brilhante, viola a decisão judicial, e que buscará todos os meios legais para suspender o decreto do prefeito, que passa a vigorar a partir de amanhã 23. A nota diz ainda, que todas as medidas necessárias para prevenção e cuidado de seus funcionários estão sendo devidamente adotadas.

Além do contato com o grupo JBS, o site Enfoque Político, entrou em contato com funcionários que trabalham na planta da empresa no município de Dourados, que nos confirmou que a empresa tem tomados medidas de prevenção e combate a covid 19, entre elas o afastamento de pessoas que apresentam sintomas da doença, a aferição de temperatura, e higienização dos setores de trabalho com produtos e com água em alta temperatura, além de fornecer “E.P.I.S”, e dos cuidados considerados básicos, como a higienização das mãos com álcool 70, e o uso obrigatório de máscaras.

Até o momento Rio Brilhante, tem confirmados 7 casos, e nesta manhã, de acordo com a secretaria de saúde, 5 funcionários do frigorífico, apresentaram sintomas, quando foram abordados na barreira sanitária, e foram destinadas ao hospital, para a realização dos exames necessários, que podem confirmar se estão infectados com a covid 19.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DO GRUPO JBS.

“A JBS reitera o propósito inabalável de garantir a saúde e segurança de seus colaboradores e, desde o início da pandemia da Covid-19 no país, adota um rigoroso protocolo de controle e prevenção da doença em suas unidades incluindo a ampliação das frotas dos ônibus de transporte dos colaboradores com marcação de assentos fixos na ida e retorno da unidade, além do controle de temperatura de todas as pessoas antes do acesso às fabricas e nos intervalos. A empresa também determinou o uso de máscara 100% obrigatório em todas as áreas, a ampla oferta de sabonetes, sanitizantes e álcool em gel e outras medidas – saiba mais jbs.com.br/comunicacao/covid-19-principais-medidas-de-protecao/.

O protocolo definido pela empresa obedece às orientações dos órgãos de saúde e cumpre com os protocolos dos Ministérios da Agricultura, Saúde e Trabalho além das normas definidas nos âmbitos estadual e municipal. Cumpre esclarecer ainda que a empresa contratou a consultoria de médicos especializados e do Hospital Albert Einstein.

Em relação à solicitação da reportagem, a empresa informa que existe uma liminar do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul para livre circulação de ônibus da empresa na cidade e a medida anunciada pela prefeitura fere essa decisão. A empresa ressalta ainda que irá adotar as medidas cabíveis para que a liminar seja cumprida”.

Prefeito de Rio Brilhante suspende transporte de funcionários da JBS, por causa do coronavirus


O prefeito de Rio Brilhante acaba de informar em entrevista que vai suspender a partir de amanhã o transporte dos funcionários da JBS durante 14 dias para evitar que mais pessoas sejam contaminados pela covid 19.

A decisão do prefeito ocorre após mais 5 pessoas que estavam sendo levadas até a empresa em Dourados, terem sido abordadas na barreira sanitária e estavam com sintomas do novo coronavirus.

O prefeito disse ainda que fará o possível para isolar os 190 funcionários que trabalham na empresa.

Donato informou que todos os veículos de outras empresas estão sendo vistoriados pela secretaria de saúde.

Até o momento a secretaria de saúde confirmou que 7 pessoas testaram positivo. ainda na entrevista, o prefeito destacou que s pacientes que estão no hospital estão sob cuidados, e que nenhum está utilizando os respiradores pois ainda não houve a necessidade.

Rio Brilhante: Após confirmação de 7 casos de coronavirus, município monitora funcionários da JBS


Barreira sanitária flagra 16 trabalhadores de frigorífico com ...

O município de Rio Brilhante vem realizando uma operação de guerra contra o coronavirus, somente esta semana 7 casos foram confirmados, e até o momento todos os casos são provenientes de funcionários do frigorífico da JBS, sendo 6 funcionários da empresa, e um outro caso, trata-se do esposo de uma funcionária, que testou positivo.

Segundo informações repassadas pelo prefeito Donato Lopes da Silva, em entrevista a Rádio Kativa FM, quase 200 moradores de Rio Brilhante são transportados diariamente até a cidade de Dourados onde funciona o frigorífico, e destes ao menos 64 pessoas atuam no setor de cortes.

Dos primeiros 5 casos confirmados, todos trabalhavam no mesmo setor, e estavam no mesmo ônibus que foi parado na barreira sanitária. Segundo a secretaria de saúde, dos funcionários do setor de cortes, todos já foram identificados, e estão sendo monitorados, e caso seja necessário, poderão ser isolados, caso apresentem os sintomas da doença.

No início da noite de ontem, mais dois casos foram confirmados, e de acordo com informações repassadas, novamente um veículo foi abordado pela barreira sanitária, e ao menos 7 funcionários apresentavam sintomas compatíveis com a covid 19, após a realização de testes rápidos, em 2 houve a confirmação do coronavirus, os demais foram encaminhados para suas residências e serão monitorados pela secretaria de saúde, pelo período de 14 dias.

Ainda durante a entrevista o prefeito demonstrou preocupação, com os funcionários do frigorífico, e não descartou a possibilidade de isolamentos de todos os 64 funcionários que fazem parte do setor de cortes da JBS, que até o momento tem sido o principal foco da doença detectado no município de Rio Brilhante. De acordo com o prefeito, representantes da empresa, se comprometeram a intensificar medidas de prevenção e combate a doença.

No município a partir da próxima semana um laboratório exclusivo para atendimento de pessoas com suspeita de covid 19 será instalado na praça central, além disso, o prefeito decretou o fechamento de igrejas, diminuiu o horário de funcionamento do comércio e decretou toque de recolher das 22 às 5 da manhã.

Rio Brilhante: Após confirmação de casos de coronavirus, prefeitura decreta estado de calamidade pública e emergência


Após a confirmação de dois casos de coronavirus em Rio Brilhante, o prefeito Donato Lopes da Silva, decretou nesta manhã estado de calamidade pública e emergência no município enquanto perdurar a situação de pandemia que já matou quase 20 mil pessoas no Brasil.

Com edição do decreto os comércios em geral podem abrir, das 7 às 18 horas, postos de combustíveis até as 20 horas, e sistemas de entregas de alimentos até as 22 horas. O decreto traz ainda a informação do toque de recolher após as 22 horas até as 5 da manhã.