“Esse partido só quer dinheiro, que se dane o povo brasileiro”, diz deputada do PSL

Assista abaixo ao desabafo da deputada Alê Silva (PSL) durante sessão ontem da Comissão de Finanças e Tributação.

Alê denunciou o laranjal em Minas Gerais envolvendo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

“Até o início da sessão, meu nome estava ali no painel. Acabei de receber a comunicação que fui excluída da CFT por parte do meu partido. Aliás, o meu partido, até esse dado momento. Esse partido não é do governo, esse partido não é do Bolsonaro. Esse partido só quer dinheiro, que se dane o povo brasileiro. Partido pequeno, nanico. Que chegou onde chegou só por culpa de Bolsonaro. Se não fosse Bolsonaro, esse partido não teria nem passado na cláusula de barreira.”

Anúncios

Promotoria de Dourados abre investigação para apurar irregularidades no transporte do lixo de Rio Brilhante

A farra do lixo que vem sendo feita com a cara do contribuinte de Rio Brilhante desde que a taxa de cobrança vem sendo feita, pode estar com os dias contados.

Desde que a taxa passou a ser cobrada, segundo o contrato que a prefeitura tem com a empresa Financial, tinha como objetivo acabar com o lixão a céu aberto que existe na saída para Dourados. Com a criação da taxa do lixo, que teve como patrocinador além do executivo municipal, também a promotoria de Rio Brilhante, esperava-se que tal problema seria solucionado, mas como tudo nem sempre é o que parece, a taxa do lixo só vem servindo para custear o transporte dos resíduos de Rio Brilhante até a cidade de Dourados, sem a devida fiscalização e nem mesmo o cumprimento das cláusulas contratuais.

Segundo dados do portal da transparência o contrato de prestação de serviços prevê o pagamento de R$ 1.671.192, 55 (Hum milhão seiscentos e setenta e hum mil cento e noventa e dois reais e cinquenta e cinco centavos) no decorrer de um ano, a empresa já empenhou o total de R$ 374.301,85 (Trezentos e setenta e quatro mil, trezentos e um reais e oitenta e cinco centavos), e já foram pagos à empresa o total de R$245.007, 45 (Duzentos e quarenta e cinco mil, sete reais e quarenta e cinco centavos).

Toda a operação deveria estar sendo fiscalizada por um funcionário da prefeitura que identificaria que a forma como vem sendo feita a adequação quanto o transporte a destinação, não está sendo observadas às clausulas contratuais, diante da inércia dos responsáveis, a 11ª Promotoria de Justiça de Dourados, por meio do promotor de justiça Amílcar Araújo Carneiro Junior, requereu à empresa Financial Construtora Industrial Ltda, que no prazo de 10 dias encaminhe documentos contendo informações acerca do contrato com a prefeitura de Rio Brilhante, e contrato com o aterro sanitário particular, ao qual os resíduos do município estão sendo destinados, e cópia das notas fiscais emitidas pelo aterro dos meses de julho, agosto e setembro.

PSD Mulher realiza ato de filiação em Rio Brilhante

Mesmo sendo maioria na sociedade, as mulheres continuam sendo minoria na Política. Visando mudar esta realidade, o PSD de Rio Brilhante, realizou na última sexta-feira, 05, o ato de filiação de mulheres, com a intenção de fortalecer a base local.

Na oportunidade a presidente do PSD Mulher no município, Márcia França, destacou que o projeto inicial, é trabalhar de maneira social, a inserir as mulheres na política para que elas possam ter vez e voz.

“A intenção do PSD, não é somente filiar as mulheres para que possamos ter número, nosso ideal é promover ações que venham ser úteis no dia à dia, independente de política. Para isso, o PSD, planeja trazer para Rio Brilhante várias oficinas e cursos”, explicou.

Em Rio Brilhante, o PSD, é presidido pelo empresário David Vincensi, que se colocou como pré-candidato à prefeito nas eleições de 2020.

Zé Teixeira usa dinheiro público para pagar rodízio de churrasco e cerveja belga

Com patrimônio declarado à Justiça Eleitoral de R$ 15,9 milhões, o primeiro secretário da Assembleia Legislativa, Zé Teixeira (DEM), usou dinheiro público para pagar rodízio de churrasco, cerveja belga e até pratos finos para amigos em São Paulo. Conforme o site Congresso Em Foco, o democrata usou R$ 1.640,50 da verba indenizatória, que deveria ser utilizada para o custeio da atividade parlamentar.

As notas fiscais foram descobertas pela organização não governamental OPS (Operação Política Supervisionada), que conta com ajuda de voluntários para identificar irregularidades em mais de mil documentos disponibilizados pelo legislativo estadual .

Pela legislação, a CEAP (Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar) só poderia ser destinada para o custeio do mandato e, jamais, usada para pagar bebida alcoólica. O primeiro a ser alvo da denúncia foi Pedro Kemp (PT), que obteve reembolso de R$ 1.784 gastos em uma pizzaria na comemoração de fim de ano da equipe, que inclui rodízio, refrigerante, cerveja e duas garrafas de vinho. O petista anunciou a devolução do dinheiro.

Agora, o alvo da denúncia é Zé Teixeira, que comanda a primeira secretária, responsável pelas finanças da Assembleia, desde 2015. No sétimo mandato como deputado estadual, ele ocupa o segundo cargo mais importante na mesa diretora pela terceira vez.

O milionário parlamentar usou dinheiro público em um restaurante da Rua da Consolação, em São Paulo (SP). Conforme a nota fiscal, o legislativo bancou três pratos de filé mignon, um de lulas frescas, um quilo de cordeiro assado, ravióli, cinco garrafinhas de cerveja belga e muita água. Em 16 de dezembro de 2016, a conta ao contribuinte sul-mato-grossense custou R$ 605.

Um quilo de cordeiro assado é suficiente para contemplar a fome de quantas pessoas?

Em janeiro de 2017, não contenta com a festança na terra da garoa, Zé Teixeira foi a uma churrascaria de Dourados, cidade onde reside e tem empresas. O deputado usou o dinheiro público para pagar oito rodízios de churrascos e muita água, que custaram R$ 500 – nem um centavo a mais, nem um a menos. Este valor está sendo liberado pelo Governo federal do FGTS.

De acordo com o Instituto OPS, o democrata voltou a usar o dinheiro público em março de 2017 para pagar pratos com cortes finos de carne para cinco pessoas. O contribuinte sul-mato-grossense pagou R$ 535,50 pela conta de Zé Teixeira, que viu o patrimônio crescer R$ 1 milhão entre R$ 2014 e 2018, conforme o site.

O parlamentar e a assessoria ignoraram os pedidos de esclarecimento da OPS e do Congresso em Foco.

Como Zé Teixeira é o responsável pela chave do cofre do legislativo, a denúncia não deve ter a mesma repercussão da história envolvendo Kemp nos jornais, sites e emissoras de televisão do Estado de Mato Grosso do Sul. Esse compromisso de divulgar a história caberá a você leitor, que sentir indignado e revoltado com a má utilização do dinheiro público.

O democrata aprovou todas as medidas propostas pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em decorrência da suposta crise nas finanças estudais, como a elevação da alíquota previdenciária de 11% para 14%, o congelamento dos gastos públicos por cinco anos e a redução de 32,5% nos salários dos professores da rede estadual.

Um professor ganha R$ 3 mil, enquanto o deputado recebe R$ 25,2 mil por mês. Zé Teixeira ainda recebia aposentadoria, que foi considerada ilegal pelo Tribunal de Contas do Estado – não há informação se ele continua recebendo o benefício de R$ 30 mil por mês.

Enquanto isso, falta dinheiro para saúde, educação, segurança, assistência social…

Paulo Corrêa prometeu publicar notas fiscais dos gastos dos deputados na internet, mas medida ainda não foi implementada (Foto: ALMS)

Zé Teixeira foi eleito deputado estadual pela primeira vez em 1994 pelo PFL. Ele acabou sendo reeleito no ano passado apesar de ter sido preso em 12 de setembro na Operação Vostok, que apura o suposto pagamento de R$ 67,7 milhões em propinas ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

No início do mês passado, ele foi convocado novamente pela Polícia Federal, na condição de investigado, para prestar o segundo depoimento na mesma operação. O democrata emitiu R$ 1,6 milhão em notas frias para legalizar a suposta propina paga pela JBS ao tucano. A denúncia consta da delação premiada do grupo homologada pelo Supremo Tribunal Federal em 2017.

Fonte: Ojacaré.

Candidato a senador de Reinaldo deixa PSDB para enfrentar Marquinhos em 2020

Ex-secretário estadual de Infraestrutura e candidato a senador no ano passado, o engenheiro Marcelo Miglioli deixou o PSDB e deverá ser candidato a prefeito de Campo Grande pelo Solidariedade nas eleições de 2020. Ele pode ser mais um adversário do prefeito Marquinhos Trad (PSD), que já confirmou ser candidato à reeleição no próximo ano.

Apresentado na última eleição como o “senador do Reinaldo”, Miglioli ficou em 4º lugar na disputa ao obter 347.861 votos. Na Capital, ele obteve a mesma colocação e conquistou 96,4 mil votos. Ele não deve ser o único a deixar o ninho tucano, já que a deputada federal Rose Modesto cogita disputar a prefeitura por outra sigla.

A filiação do ex-secretário animou a cúpula do Solidariedade no Estado, como o deputado estadual Lucas Lima, presidente municipal, e o vereador Papy, comandante do diretório estadual. “Marcelo tem uma trajetória incrível na política como secretário de Obras que levou desenvolvimento e vida melhor para todos os sul-mato-grossense”, ressaltou Lima, sinalizando que cederá a vaga para o novo filiado.

Apesar do esforço na campanha eleitoral, Miglioli acabou não sendo reconhecido por Reinaldo. Ele ficou sem espaço no Governo estadual e perdeu o cargo de secretário estadual de Infraestrutura para o vice-governador Murilo Zauith (DEM).

No entanto, o ex-tucano não deixou transparecer a mágoa. “Deixo o PSDB agradecido pela oportunidade que tive, tenho muitos amigos tucanos, mas a vida pública impõe novos desafios e eu não sou de fugir deles”, afirmou, por meio da assessoria de imprensa.

“Sinto-me em casa no Solidariedade, temos objetivos comuns de construir um projeto de desenvolvimento econômico, social e político para a nossa Capital, para a qual já tive oportunidade de trabalhar bastante quando coordenei a Secretaria de Infraestrutura”, afirmou, adotando discurso de candidato.

A provável candidatura do ex-secretário reforça o quadro de pulverização de candidaturas em 2020. O ex-governador André Puccinelli, presidente regional do MDB, não definiu o candidato do próprio partido, mas já delineou vários candidatos de oposição a Marquinhos.

O emedebista tem dito aos mais próximos que pretende lançar vários candidatos potenciais, como o ex-senador Delcídio do Amaral (PTB), o procurador de Justiça, Sérgio Harfouche, que deverá se filiar ao Avante, o pecuarista e ex-secretário de Habitação, Paulo Matos (PSC), e Rose Modesto.

O PSDB caminha para honrar o compromisso de Reinaldo de retribuir ao apoio no ano passado e subir no palanque de Marquinhos Trad. O prefeito também poderá contar com apoio de peso, como o do PSB, presidido pelo médico Ricardo Ayache, e do ex-candidato a governador, o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira.

A oposição ainda poderá contar com as candidaturas do deputado estadual Capitão Contar (PSL), como representante do presidente Jair Bolsonaro (PSL), e de um petista. O PT está dividido entre lançar o ex-governador Zeca do PT ou os deputados estaduais Pedro Kemp e Cabo Almi.

Na volta dos derrotados ao Senado no ano passado, Harfouche obteve o melhor resultado. O procurador ficou em primeiro lugar na Capital ao conquistar 163,1 mil votos. O ex-senador Waldemir Moka (MDB) ficou em 4º, com 99,2 mil, seguido por Miglioli (96,4 mil), Zeca do PT (76,4 mil) e Delcídio (23,9 mil).

O ex-senador Delcídio ainda precisa recuperar os direitos políticos, suspensos até 2026 por causa da cassação do mandato pelo Senado. Ele foi inocentado da acusação que levou à perda do mandato, mas precisa anular o decreto no Supremo Tribunal Federal.

O mesmo problema enfrenta o ex-prefeito Alcides Bernal, que perdeu o mandato de deputado federal apesar de ter obtido 47 mil votos. O progressista ainda acabou perdendo o comando do partido no Estado.

As eleições só vão ocorrer daqui um ano, mas os partidos já começaram a definir as peças do jogo.

Fonte: Ojacaré.

Para terror de Azambuja, professores voltam a se manifestar

Os profissionais da edução da rede estadual estão realizando nesta quarta feira em Rio Brilhante, mais uma manifestação contra as ações do governador Reinaldo Azambuja, que tem sucateado a rede estadual de ensino.Com cartazes com as reivindicações, estiveram na rua principal da cidade, e agora se concentram em frente a prefeitura, onde o chefe do executivo, é fiel defensor do governador que entre as maldades na educação, também, é conhecido como o governador Pinóquio, pois toda vez que vem à Rio Brilhante, vem com uma mentira diferente, e nenhum solução.

De maneira ordeira e pacífica os professores cobram entre outras coisas a realização de concurso público, isonomia salarial entre convocados e efetivos, eleições diretas para diretores, chamada do concurso dos administrativos e política salarial para os administrativos.

Enquanto alguns projetos de políticos se preocupam apenas em aparecer bem nas fotos ao lado do governador, a classe da educação tem saído às ruas com o claro interesse de manter vivo no cidadão que é possível buscar soluções pacíficas sem ter que defender lado político, e a defesa de uma educação de qualidade é dever de todos.

Enquanto professores e demais profissionais lutam por melhorias que certamente afetarão toda a comunidade, parte dos políticos de Rio Brilhante fazem cara de paisagem, pois sabem que uma sociedade educada é uma arma contra mandos e desmandos, é o terror de quem sonha em conquistar o poder pelo cabresto. Como diz o poeta Paulo Sá, Voto de Burro é mais barato.

Fator PT pode decidir as eleições em Rio Brilhante novamente

Enquanto o cenário político de Rio Brilhante vislumbra apenas a candidatura do PSD como certa, todas as siglas estão de olho no potencial do candidato à vice, e por mais estranho que possa aparecer, já que nas últimas eleições em nível nacional o PT foi considerado o problema do Brasil, em Rio Brilhante, a sigla poderá ser o fiel da balança, assim como já aconteceu em 2004.

Nos bastidores comenta-se que o produtor Rural José Raul das Neves, o Raulzinnho, pode vir a ser o escolhido para representar o partido, caso o PT decida não ter candidatura própria, como é a ideia inicial.

Raulzinho é um dos fundadores do partido no estado, têm trânsito político em todas as siglas, é vice-presidente estadual do partido ao lado do ex-governador Zeca do PT, e no momento está realizando um projeto de fortalecimento do partido no interior do estado, e da mesma forma simples com que senta e conversa com os assentados, também é recebido por autoridades, como é o caso da ministra Teresa Cristina, que educadamente o atendeu em Campo Grande, onde falaram sobre custeio agrícola.

Outro fator que faz com que Raul venha a ser analisado como um bom nome para candidato a vice, é sua capacidade de abraçar os ideais do partido sem radicalizar, e não abandona a luta por mais difícil que seja, como ocorreu com a eleição para governador, onde o candidato Humberto Amaducci, totalmente desconhecido dos riobrilhantenses, recebeu mais de 2 mil votos, numa eleição onde a sigla era demonizada por apoiadores da direita.

Enquanto os demais partidos ainda não se decidiram sobre quem lançar para concorrer à prefeito nas próximas eleições, fato é que todos estão de olho nos movimentos do PT, e esperançosos de que a sigla, não tenha candidato próprio.