Em cartório, jovem diz que ganhou R$ 2 mil para mentir e acusar Marquinhos por assédio

Jovem de 20 anos, uma das supostas nove vítimas, afirmou, em depoimento registrado em cartório, que recebeu R$ 2 mil para mentir à Polícia Civil de que sofreu assédio do ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD). Além de ter recebido um Pix, a estudante disse que recebeu promessa de emprego no Governo do Estado em caso de vitória do ex-secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB).

O depoimento foi divulgado nesta terça-feira (26) pela revista Veja (olha aqui) e confirmado pelo O Jacaré. A jovem diz que acabou sendo levada à DEAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) por outras três garotas de programa, que também teriam recebido dinheiro para registrar as queixas contra o candidato a governador do PSD.

O caso é mais um capítulo da campanha eleitoral, que começou na semana passada com as convenções partidárias, e promete ser uma das mais tensas e disputadas da história. O ex-prefeito nega as acusações e acusa ser vítima de armação por parte da Governo tucano, que estaria, conforme o candidato, usando a máquina para se manter no poder.

As denúncias contra Marquinhos foram feitas, inicialmente, na Corregedoria-Geral da Polícia Civil, que encaminhou para a DEAM. A delegada Maíra Pacheco Machado instaurou inquérito e chegou a pedir medidas protetivas para as supostas vítimas, mas os pedidos foram negados pela 3ª Vara de Violência Doméstica contra a Mulher de Campo Grande.

Os depoimentos são semelhantes e os primeiros casos teriam, segundo relato das mulheres, em 2020, quando Marquinhos foi disputou a reeleição. Com a revelação pelo colunista Guilherme Amado, do site Metrópoles, de Brasília, novas denúncias teriam sido feitas contra o ex-prefeito. Ontem, o Campo Grande News e o Midiamax informaram que nove mulheres teriam procurado a polícia.

Nesta segunda-feira (25), a jovem de 20 anos registrou uma declaração em cartório para recuar das acusações e falar que recebeu R$ 2 mil para registrar o boletim de ocorrência por assédio. Conforme o relato, ela conhecia três garotas de programa, que teriam lhe oferecido dinheiro para fazer a acusação.

A estudante é a mulher de 20 anos que contou ter ido ao gabinete do prefeito em busca de emprego e acabou sendo levado por Marquinhos ao banheiro. Conforme o relato, o ex-prefeito ficou excitado e teria baixado as calças. No entanto, ela recusou e o ato sexual acabou não se consumando.

No depoimento feito em cartório, a estudante diz que não conhece o ex-prefeito e mentiu para receber o dinheiro. O PIX teria sido feito no momento em que ela estava na Delegacia da Mulher. Além do dinheiro, conforme o depoimento, ela teria um emprego na administração estadual em caso de vitória de Riedel, o candidato a governador de Reinaldo Azambuja.

Em outro vídeo, divulgado pelo O Jacaré, uma mulher contou que recebeu proposta de ganhar R$ 150 mil do presidente da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos, Carlos Alberto de Assis, se topasse forjar uma denúncia de assédio contra o candidato a governador do PSD. Ela contou que rejeitou a proposta. Assis foi procurado mas não se manifestou até hoje.

Conforme a jovem de 20 anos, que recuou das acusações, duas das três garotas de programa, que contaram histórias semelhantes, teriam viajado após a denúncia porque temiam represálias. “Tenho medo de represálias ou que elas possam fazer algo contra mim”, afirmou a estudante.

O candidato do PSDB, Eduardo Riedel, foi procurado, por meio da assessoria de imprensa, mas não se manifestou até o momento.

Fonte:Ojacaré.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s