Com pedido de CPI, Alan Guedes promete colaborar para explicar projeto de robótica

Proposta de instalação da CPI foi apresentada pelo vereador Fábio Luiz (Republicanos) e reúne 7 assinaturas

O prefeito de Dourados, Alan Guedes (PP), disse ao Jornal Midiamax que o pedido de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na última segunda-feira (25) na Câmara de Vereadores “é uma oportunidade a mais para explicar o objetivo pedagógico do projeto de robótica educacional”.

A proposta de instalação da CPI foi elaborada pelo bloco independente da Câmara de Vereadores e entregue pelo vereador Fábio Luiz (Republicanos). O documento é assinado pelos vereadores Juscelino Cabral (PSDB), Lia Nogueira (PSDB), Márcio Pudim (PSDB), Olavo Sul (MDB), Elias Ishy (PT) e Diogo Castilho (PSDB).

Segundo eles, o contrato com a fornecedora Megalic Ltda, no valor de R$ 8.753.000,00, formalizado para custeio de 50 soluções de robótica, que inclui kits de montagem, material didático e treinamento para os professores, apresenta fortes indícios de irregularidades, como superfaturamento.

Em conversa com reportagem do Midiamax, Alan Guedes disse que vê essa iniciativa de uma parte dos parlamentares com “muita tranquilidade”. Segundo ele, ao adquirir o projeto para a Reme (Rede Municipal de Ensino), a sua administração deu um grande passo à frente, na medida em que foca na transformação da rotina escolar.

Diante do pedido de CPI que foi entregue ao presidente da Câmara Laudir Munaretto (MDB), o chefe do Executivo esclarece que a gestão trabalha de forma transparente. No entendimento dele (prefeito) toda a documentação e explicações sobre a robótica já estão disponíveis no Portal da Transparência da prefeitura e podem ser obtidas com muita facilidade com a administração municipal.

“Claro que criar uma CPI é uma prerrogativa da Câmara, mas nesse caso, um simples requerimento resolveria a questão. Nesse sentido, fica evidente, mas uma vez, a finalidade política da CPI”, pondera o prefeito sem deixar de ressaltar que, em ano eleitoral, alguns estejam usando a “bandeira da educação como plataforma política, sem realmente se preocupar com o principal interessado, que é o aluno”.

Ainda em relação aos questionamentos apresentados pelos parlamentares que formam a bancada oposicionista na Câmara, Alan Guedes explica que a prefeitura de Dourados, em 2021, buscava adquirir para a Rede Municipal de Educação um Kit de Robótica, juntamente com computadores, para compor Salas de Tecnologia para os alunos.

“O Investimento faz parte das regras do Fundeb, que prevê a destinação de 25% das receitas líquidas do município para a Educação. A adesão a Ata de uma prefeitura do Nordeste se deu porque as especificações técnicas e pedagógicas do documento atendiam fielmente o que estava proposto no projeto de Tecnologia da Prefeitura de Dourados, que será implementado no contra turno, ou seja, num expediente adicional para os alunos”, detalha o prefeito.

Na avaliação dos técnicos da prefeitura, segundo o chefe do Executivo, os valores não são considerados altos e foi feita uma pesquisa prévia, em várias regiões do país, quando foi constatado que os valores da ata em questão eram compatíveis com os valores praticados no mercado.

No entendimento da administração não há nenhuma irregularidade, considerando que os kits não são apenas os “robôs” e sim contemplam também todo material técnico/pedagógico, além de um sistema operacional. “Importantíssimo salientar que todos os Kits foram adquiridos com recursos próprios da Prefeitura. Os equipamentos já estão em Dourados e serão implementados ainda no primeiro semestre de 2022”, pondera o prefeito.

Fonte: Midiamax.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s