Milton Ribeiro confirma à PF que Bolsonaro lhe pediu para receber pastores

Ex-ministro da Educação, porém, alegou que não houve favorecimento e que os áudios que acabaram resultando em sua demissão do MEC foram tirados de contexto

Milton Ribeiro (foto) prestou depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira (31) e confirmou que Jair Bolsonaro pediu a ele para receber pastores, mas negou que tenha havido qualquer tipo de favorecimento, registra o G1.

Alvo de denúncias de que estaria favorecendo pastores evangélicos na distribuição de verbas do Ministério da Educação, Ribeiro deixou o comando do MEC nesta segunda (28), dias após Bolsonaro dizer que colocaria a “cara no fogo” por ele.

Na semana passada, o Estadão apontou a existência de um suposto gabinete paralelo” dentro do MEC, formado por pastores que controlariam a liberação de verbas e a agenda da pasta. Em seguida, a Folha divulgou áudio de uma reunião em que Ribeiro afirmou que, a pedido de Bolsonaro, repassava verbas para municípios indicados pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura.

Em seu depoimento de hoje, o ex-ministro confirmou o conteúdo do áudio, mas alegou que ele foi retirado de contexto. Segundo Ribeiro, a declaração tinha como objetivo prestigiar o pastor Gilmar, e não insinuar que os amigos do líder religioso seriam beneficiados.

“O presidente Jair Bolsonaro realmente pediu para que o pastor Gilmar fosse recebido, porém isso não quer dizer que o mesmo gozasse de tratamento diferenciado ou privilegiado na gestão do FNDE ou MEC”, afirmou.

Ribeiro disse ainda que Bolsonaro não cobrou dele informações sobre o resultado do encontro com os pastores.

Fonte: Oantagonista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s