Em 20 dias de janela partidária, mais de 10% dos deputados trocam de partido na Câmara

Segundo apurou o g1, 55 dos 513 deputados federais trocaram de legenda no período. Janela termina no dia 1º e permite a migração entre legendas sem risco de perda de mandato.

Vinte dias depois de iniciada a chamada “janela partidária“, 55 deputados federais (10,7% do total de 513) trocaram de partido no período, segundo levantamento do g1.

A janela partidária começou no último dia 3 e termina no próximo dia 1º. Nesse período, deputados federais, estaduais e distritais podem trocar de legenda sem risco de perder o mandato.

Para o levantamento, o g1 se baseou nos registros oficiais da Câmara e nos contatos com partidos e gabinetes dos deputados.

Até agora, a principal finalidade das movimentações é eleitoral. Há casos de parlamentares que trocaram de partido porque não tinham espaço na legenda em que estavam para disputar outros mandatos, como o de senador ou governador. Há os que obtiveram na nova sigla promessa de recursos para a campanha ou ainda os que migraram para se manter na mesma legenda do pré-candidato a presidente da República que apoiam.

Saiba qual é a situação das bancadas dos principais partidos da Câmara:

PL

Nesse último exemplo, o maior beneficiário é o PL, partido ao qual se filiou o presidente Jair Bolsonaro, pré-candidato à reeleição.

A legenda iniciou o período de migrações partidárias com 42 deputados na Câmara. Com a entrada de bolsonaristas, o PL saltou para 63 e se tornou o partido com a maior bancada de deputados federais.

No partido, há expectativa de esse número aumentar. São esperadas as filiações de Filipe Barros (PR) e Major Vitor Hugo (GO), ex-líder do governo na Câmara, ambos do União Brasil. Mas a sigla deve perder pelo menos um deputado — na próxima sexta (25), Luiz Nishimori (PL-PR) oficializará filiação ao PSD.

Na avaliação do deputado Giovani Cherini (RS), vice-líder do PL na Câmara, o aumento da bancada vai fortalecer a campanha de Bolsonaro à reeleição.

“O partido vai estar mais coeso. Estaremos todos focados, a partir de agora, em reeleger o presidente Jair Bolsonaro e eleger governadores”, afirmou.

PT

PT, principal partido de oposição, já teve a maior bancada da Câmara. Atualmente, detém a segunda, com 54 deputados. Mas poderá perder Marília Arraes (PE), que, em razão de divergências políticas regionais, negocia a transferência para o Solidariedade, a fim de disputar uma vaga no Senado ou o governo de Pernambuco.

Para o líder do PT na Câmara, Reginaldo Lopes (MG), a janela partidária não vai produzir mudanças na “correlação de forças” dentro da Câmara. Segundo ele, grande parte das trocas partidárias já eram esperadas. “Quem já tem afinidade ideológica com o governo seguirá alinhado ao governo”, afirmou.

No entanto, Lopes avaliou que mudanças podem ocorrer na composição das comissões da Câmara. “Acredito que o presidente da Câmara ainda não compôs as comissões de 2022 justamente por aguardar o fim da janela. Vamos ter que esperar até 2 de abril para sabermos como ficará, exatamente, o tamanho das bancadas”, completou.

União Brasil

O União Brasil é, até o momento, o partido que mais baixas sofreu com a janela partidária. A legenda, resultado da fusão entre PSL e DEM em fevereiro, atualmente com 52 deputados, chegou a ter 81. Mas gradativamente foi perdendo parlamentares para o PL, para onde migrou a maior parte dos bolsonaristas então abrigados no PSL.

Nos próximos dias, a bancada pode voltar a crescer com a oficialização da entrada de Danilo Forte (CE), que já anunciou saída do PSDB. Filiado ao União, ele deve exercer um dos cargos da direção estadual do partido no Ceará.

Para o deputado Alexandre Leite (SP), vice-líder do União Brasil, o encolhimento da bancada não deve fazer a legenda perder força na Câmara.

“Tivemos perdas. Não foram só deputados bolsonaristas que nos deixaram. Mas nós estamos focados nas eleições. O União quer criar chapas fortes nos estados e voltar grande”, disse.

OS DEPUTADOS QUE TROCARAM DE PARTIDO NA JANELA PARTIDÁRIA

DEPUTADOSAIU DEENTROU EM
Abílio Santana (BA)PLPSC
Augusto Coutinho (PE)SolidariedadeRepublicanos
Bia Kicis (DF)União BrasilPL
Capitão Alberto Neto (AM)RepublicanosPL
Capitão Fabio Abreu (PI)PLPSD
Carla Zambelli (SP)União BrasilPL
Carlos Jordy (RJ)União BrasilPL
Caroline de Toni (SC)União BrasilPL
Charlles Evangelista (MG)União BrasilPL
Chris Tonietto (RJ)União BrasilPL
Cristiane Yared (PR)PLPP
Coronel Armando (SC)União BrasilPL
Coronel Chrisóstomo (RO)União BrasilPL
Coronel Tadeu (SP)União BrasilPL
Da Vitória (ES)CidadaniaPP
Daniel Freitas (SC)União BrasilPL
Delegado Eder Mauro (PA)PSDPL
Diego Garcia (PR)PodemosRepublicanos
Eduardo Bolsonaro (SP)União BrasilPL
Eros Biondini (MG)ProsPL
Felício Laterça (RJ)União BrasilPP
Flávio Nogueira (PI)PDTPT
General Girão (RN)União BrasilPL
Gustinho Ribeiro (SE)SolidariedadeRepublicanos
Joice Hasselmann (SP)União BrasilPSDB
José Medeiros (MT)PodemosPL
Junio Amaral (MG)União BrasilPL
Leandre (PR)PVPSD
Léo Motta (MG)União BrasilPL
Loester Trutis (MS)União BrasilPL
Lourival Gomes (RJ)União BrasilPP
Luis Miranda (DF)União BrasilRepublicanos
Luisa Canziani (PR)PTBPSD
Luiz Antonio Correa (RJ)PLPP
Luiz Lima (RJ)União BrasilPL
Luiz Philippe de Orleans e Bragança (SP)União BrasilPL
Major Fabiana (RJ)União BrasilPL
Mara Rocha (AC)PSDBMDB
Marcelo Alvaro Antonio (MG)União BrasilPL
Marcio Labre (RJ)União BrasilPL
Marcos Aurélio Sampaio (PI)MDBPSD
Marina Santos (PI)PLRepublicanos
Nelson Barbudo (MT)União BrasilPL
Nivaldo Albuquerque (AL)PTBRepublicanos
Pedro Augusto Palareti (RJ)PSDPP
Pedro Lucas Fernandes (MA)PTBUnião Brasil
Pedro Lupion (PR)União BrasilPP
Ricardo Izar (SP)PPRepublicanos
Roman (PR)PatriotaPP
Rose Modesto (MS)PSDBUnião Brasil
Sanderson (RS)União BrasilPL
Sóstenes Cavalcante (RJ)União BrasilPL
Tiago Dimas (TO)SolidariedadePodemos
Vicentinho Júnior (TO)PLPP
Wilson Santiago (PB)PTBRepublicanos

Fonte: partidos, gabinetes dos deputados e Câmara dos Deputados

Outros partidos

PTB – Influenciado pela crise interna no comando da sigla, o PTB teve a bancada reduzida em 40% nos últimos dias. É a maior redução percentual de um partido na janela partidária. Dos dez parlamentares que integravam a bancada no início de março, restam seis. O partido ainda pode perder mais um: Paulo Bengtson (PA), que chegou a ter o nome anunciado no PL na última semana, mas, segundo a assessoria, ainda não decidiu se mudará de partido.

Podemos – No Podemos, dois deputados deixaram a legenda em razão de o partido ter escolhido Sergio Moro como pré-candidato à Presidência. Aliados do presidente Jair Bolsonaro, José Medeiros (MT) e Diego Garcia (PR) migraram para PL e Republicamos, respectivamente. Durante a janela partidária, um único deputado ingressou no Podemos – Tiago Dimas (TO), que deixou o Solidariedade.

PPPSDRepublicanos – Até esta terça (22), PPPSD e Republicanos só tiveram ganhos com a janela partidária. O partido do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ganhou nove integrantes e perdeu um. O Republicanos perdeu um e ganhou oito. No PSD, saíram dois e entraram quatro.

MDB e PSDB – A bancada do MDB ganhou um novo integrante e perdeu outro. No mesmo período da janela partidária, o PSDB perdeu dois e recebeu um.

PSC – O partido ganhou um deputado. Abílio Santana (BA) deixou o PL porque na Bahia a sigla poderá não apoiar a candidatura de ACM Neto ao governo estadual.

PDTCidadaniaPatriotaPros e PV – Esses cinco partidos registraram uma saída, sem novos integrantes.

Solidariedade – O partido teve três baixas na janela partidária, até esta terça (22). Nos próximos dias, a deputada Dra. Vanda Milani (AC) deve deixar a legenda rumo ao Pros. No novo partido, presidido pelo próprio filho da deputada no Acre, ela espera disputar uma cadeira no Senado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s